Os Contos Infantis

Um estudo recente demonstrou que os contos infantis, ou contos de fadas, podem ser prejudiciais para a sanidade mental das crianças. Há razões mais que suficientes para afirmar que estão repletos de péssimos exemplos. Podemos começar pelo o próprio designação da classificação literária a que são sujeito, ou seja o nome: contos de fadas. Contos de fadas!? Cooontos de fadas!? Só isso demonstra uma incitação à mentira, visto que é mais comum incluírem animais falantes, ou algum tipo de magia ou encantamento do que aquela minorcas com asas e varinhas. Os mais atentos poderão o confirmar.

Pessoalmente concordo com este estudo. Por isso através de diversos posts, tentarei sustenta-lo com a descodificação dos mais conhecidos contos infantis.

Não esquecendo que cada caso é um caso e que para toda a regra há uma excepção, não posso deixar passar a oportunidade sem recomendar um conto infantil. Este conto é a Cinderela de Perrault. Na sua obra, Contes de ma Mère l’Oye (Contos da minha Mãe Gansa), onde podemos encontrar historias como o Capuchinho Vermelho, Pele de Asno, ente outros, Charles de Perrault manifesta a intenção de escrever especialmente para as meninas, orientando assim a sua formação moral.

A Gata Borralheira, o outro nome do conto Cinderela, reflecta perfeitamente o que a sociedade deveria ser. Primeiro seria formidável, para não dizer estupendo, ou mesmo espectacular, se em vez de andar de carros que pouco a pouco destroem o nosso planeta, andaríamos de Pumpkin Car. Um veiculo de quatro cavalos (ratos), no sentido literal, ainda por cima bio-degradável, visto que é feito a partir de uma abóbora. Quem é amigo do ambiente!? Já me imagino no meu Pumpkin Car TDI, decerto que ia impressionar muitas!


E a nível da requalificação profissional, é impressionante como, por exemplo, ratos e outros animais amigos da protagonista, passam de bichos a costureiros, sendo pouco depois cavalos, cocheiros…etc. E a Cinderela passa de empregada a princesa sem esforço. Bastou-lhe esquecer-se de um sapato!!!

O factor sorte também está presente, o que seria dela se não setinha esquecido do tal sapato!? The Shoe’s Theory (Teoria do Sapato) está, de facto, implementada na nossa sociedade. As pessoas arriscam a sua sorte ao gastar o pouco que têm, para ganhar à lotaria (Euromilhões e outros concurso do género). Pensam no curto prazo e não no longo, poupando esse dinheiro poderiam talvez investi-lo para garantir uma maior fonte de rendimento. É caso para dizer: Arriscam-se a ficarem descalços por uma utopia.

O papel da mulher está muito bem representado nesta história. Muito trabalho, pouca diversão, tanto que quando tocam as 12 badaladas que encerram mais um dia de lides domésticas e anunciam outro, ela tem de estar em casa.
Como podem constatar, este conto tem de ser recomendado, visto que ele leva as meninas, mais tarde mulheres, para o caminho certo, o da submissão. Também nos ensina tretas como a esperança, o trabalho acaba sempre por ser recompensado, …etc. Fica a pergunta: Quem quer saber disso?

Advertisements

Train – Drops of Jupiter

O significado deste tema tem sido interpretado de diversas formas, devido a sua letra única e enigmática. O vocalista da banda, Pat Monahan, disse  que a música tinha sido inspirado na sua falecida mãe e que as primeiras linhas lhe tinham aparecido em sonho. Mas tardePat Monahan declarou que este tema, na sua genese em homenagem a sua mãe, se transformou numa canção de amor.

Sinceramente, não sei explicar porquê mas adoro esta música. Espero que também gostem.

O Speed Dating

Para explicar o que é o Speed Dating,  fiz uma investigação cuidada, e participei num evento desses só para vocês. Também foi para ver se arranjava um encontro, visto que aquela cena dos anúncios não resultou. Já agora queria a vossa opinião, é que não percebo o que eles tinham de mal, pois não obtive respostas.
“Jovem quase atraente, quase musculado, quase alto, enfim quase tudo, procura mulher dos 20 aos 30 anos (cotas é que não!!!) bonita e boa (de preferência!!!). Para relacionamento sério, ou não, desde que haja muito sexo!!!”
Acho que é um anúncio normalíssimo, o problema é que me custou uma pipa de massa e quecas nem vê-las. Voltando ao Speed Dating:
O Speed Dating é um formato importado dos E.U.A. em que numa noite se dá aos inscritos a oportunidade de conhecerem 20 pessoas solteiras ou descomprometidas do sexo oposto. Têm conversas de 4 minutos com cada uma delas num sistema rotativo e no final se houver interesse mútuo podem combinar voltar a encontrar-se.
Uma das vantagens para os speed daters é que é extremamente difícil dar cabo de um encontro em 4 minutos. Mas há quem consiga e vou prova-lo através de 3 encontros

Encontro 1

M@rkito: Olá! Eu sou o M@rkito!
Solteira: Olá! Eu sou a Rita! É um prazer conhecer-te!
M@rkito: Podes crer! O prazer é todo teu!
Rita: Como!?
M@rkito: Estava a brincar! Era para quebrar o gelo!
Rita: Aaaaaah!
M@rkito: Resultou!?
Rita: Nem por isso!
M@rkito: Pois! Vamos começar a falar de coisas interessantes! Pode ser!?
Rita: Claro!
M@rkito: Tenho 26 ano, vivo com os meus pais, tenho os olhos castanhos, sou inteligente, bonito. Pelo menos é o que a minha avó diz.
Rita: Ah sim! Mas a tua avó é cega?
M@rkito: Por acaso não! Mas está a ficar senil, as vezes diz coisas sem sentido! Tas a ver!?
Rita: Se tou!!!
M@rkito: O que queres dizer com isso!?
Rita: É que de bonito, não tens nada!
M@rkito: Olhem-me esta! Já vistes a tua fronha!? Ainda por cima deves andar na natação!
Rita: Como assim!?
M@rkito: Nada à frente! Nada à trás! Percebo porque viestes a um evento deste tipo. É tua única hipótese de teres um encontro. De certeza que nem um Blind Date arranjas!
Rita: Olha quem fala! Deves ser parvo!
M@rkito: Parvo! Eu!? Parvo! Eu!? Olha que estou aqui para um trabalho de investigação. Parvo! Eu!?
Rita: Ya! Tu!
M@rkito: Parvo! Eu!?
Rita: Felizmente o tempo está a acabar! Vamos ficar em silencio até o fim! Ok!?
M@rkito: Ok! Parvo! Eu!?
Rita:
M@rkito: …
Rita: …
M@rkito:
Rita: …
M@rkito:

Rita:
M@rkito: Parvo! Eu!?

Encontro 2

M@rkito: Olá! Eu sou o M@rkito!
Solteira 2: Olá! Eu sou a Cláudia! É um prazer conhecer-te!
M@rkito: Eh lá! Grande par de…e ainda por cima é jeitosa. Podes crer! O prazer é todo teu!
Cláudia: Como!?
M@rkito: O prazer é todo meu! Ia fazendo merd* outra vez!
Cláudia: Talvez pudesses falar-me um pouco de ti.
M@rkito: Tenho 26 ano, vivo com os meus pais e estou desempregado. Mas é temporário.
Cláudia: O facto de viver com os pais ou estar desempregado!?
M@rkito: De viver com os pais, eu cá gosto de ser desempregado! Não se faz nada e ganhamos dinheiro a custa dos outros!
Cláudia: Ok! Mas vais deixar o tecto familiar!? Porquê? Vais viver sozinho?
M@rkito: Sozinho!? Não! Como vou viver debaixo da ponte, vou estar rodeado de ratos, baratas e outros bichos do género!
Cláudia: Debaixo da ponte! Mas porquê?
M@rkito: Fui expulso de casa! Fui apanhado com mercadoria proibida!
Cláudia: Proibida? Droga?
M@rkito: Não! Filmes e revistas pornos! Tenho mais de 5000 de cada! Os meus pais deram me a escolha entre os filmes e viver em casa deles!
Cláudia: E tu escolheste!?
M@rkito: Obviamente que escolhi os filmes! Os meus ricos filminhos!
Cláudia: És um depravado!
M@rkito: Sim! E depois!?
Cláudia: Olha! Esquece!
M@rkito: O que eu fiz!?
Cláudia: …
M@rkito:
Cláudia:
M@rkito: Acho que podíamos combinar qualquer coisa…o que te parece?
Cláudia: (irritada) Vamos ficar em silencio até o tempo acabar! Pode ser!
M@rkito: Fogo! Tem calma! Perguntar não ofende!
Nota: No próximo encontro não olhar só para os peitos. Acho que não é uma boa estratégia. Também é melhor evitar falar da pornografia! 

Encontro 3 

M@rkito: Olá! Eu sou o M@rkito! Estou farto de dizer isto!!!
Solteira 3: Olá! Eu sou a Alex!
M@rkito: É mesmo jeitosa! Alex de Alexandra!? Que mais poderia ser!?
Alex: Não de Alexandre!
M@rkito: Como!? Alexandre! Isso é nome de gajo! Só me faltava essa!
Alex: Sim! Ainda uma parte de mim é rapaz! Mas estou a tratar disso! Já tenho a cirurgia marcada!
M@rkito: Espera lá! Estás a dizer-me que és uma miúda! As mamas o confirma! Mas com pingarelho!
Alex: Sim!
M@rkito: F*daaaaaaaaaaaaaaaaasssssssseeeeeee!
Alex: Podíamos combinar qualquer coisa!?
M@rkito: Pois! Já!? Dá-me mais tempo para estragar o encontro!
Alex: Quando é que podes? Segunda ou Terça? Só tenho esses dias disponíveis!
M@rkito: Pouca sorte! Nestes dias estou ocupado! Agora inventa qualquer coisa!
Alex: Ah sim!
M@rkito: Segunda tenho o clube de xadrez e terça tenho ballet! Ballet! Ballet! O que fui eu dizer! Não há cena mais gay!!! Deus porque me abandonastes!!!
Alex: Ballet!!! Gosto tanto de ver os homens com aquelas calças justinhas!
M@rkito: Pois! Imagino!
Alex:
M@rkito: Ballet!? Não! Café! Deves ter percebido mal!
Alex: Então!?
M@rkito: É que a terça, eu trabalho num café!!!
Alex: Podia ir lá ter contigo!
M@rkito: Naaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaão! Não dá é um clube restrito onde vão aquelas pessoas criticadas e marginalizadas pela sociedade. E só podem entrar homens!
Alex: Os gays!? Nesse caso posso lá ir. Ainda tenho algo másculo!
M@rkito: Pois! O pingarelho! Já me esquecia! Não é um clube gay! É um clube para políticos!
Alex: Ok!
M@rkito: Vamos ficar em silencio até o tempo acabar! Ok!?
Alex: Está bem!
M@rkito:
Alex: A nossa saída fica sem efeito!?
M@rkito: Fica!

Nota final: Isto do Speed Dating não foi uma boa ideia! O risco é demasiado elevado! Sair com um homem em formato de dama…chiça!!! É melhor ficar em casa, porque como diz o ditado: Mais vale sozinho, que mal acompanhado!

P.s.:Queria pedir desculpa pela utilização do palavrão “f*od…”, mas na altura nâo me ocorreu mais nada. Qual a palavra mais adequada para demonstrar um misto de terror e horror!? De certeza que se fosse com vocês também diriam o mesmo!

Um verdadeiro tributo

Este quinteto de metais famosissimo, os Canadian Brass, interpreta aqui um verdadeiro tributo para o ballet. Aliás, a peça chama-se mesmo “Tribute to the Ballet”.

Quem disse que a música classica não podia ser divertida!?

Os Solteiros

No dia 28 de Setembro, realizou-se, pela primeira vez em Portugal, o dia dos Solteiros (ou encalhados se preferirem). Apesar desse dia não ter sido festejado com pompa e circunstância, muitos foram os participantes da SpeedParty (mais de 3000!!!). Esses 3000 desesperados, reuniram-se para uma série de SpeedDating (encontros rápidos).Mas o que mal têm os solteiros? Ao longo dos tempos, esta nobre classe, à qual por acaso faço parte (e diga-se de passagem que é estranho ainda pertencer), tem lutado pelos seus direitos. Será que as pessoas não vêem, que ser solteiro é sinónimo de liberdade. Os solteiros nunca são atacados pelas perguntas típicas: onde fostes? Porque demorastes tanto tempo? Olhastes para ela!? Os solteiros não precisam de inventar desculpas mirabolantes do tipo: “Fui fazer voluntariado à Cruz Vermelha” ou “Desculpa o atraso mas não vi as horas passar” ou ainda “Olhar!? Para quem!? Nem tinha visto aquela loiraça com as mamas grandes!!!”.É frequente que quando um solteiro chega aos 30 anos, os que o rodeiam sejam assaltados por diversas perguntas:
– “Será que, ele é…tu sabes???” (Não sei!!!)
– “O que há de errado com este gajo? (Sei lá, se calhar tem a pila murcha…)
– “Será que, ele é…tu sabes???” (Outra vez!!!)
Mas ser solteiro é uma opção válida, senão o porquê da despedida de solteiro. Este dia marca o fim dum ciclo, de uma era. Após esse dia jamais poderá ao clube dos solteiros pois o seu BI ostentará mais tarde “casado”,”divorciado” ou “viúvo”. O fim do celibato é viagem sem retorno.
Após muitas pesquisas e um árduo trabalho de campo (e de cidade!!! hehehe!!! É uma piada! Fogo sou um incompreendido!), consegui apurar cinco grandes tipos de solteiros:

– Os Solteiros de Longa Duração ou SLD (não confundir com LSD): Estes solteiros não sabem o que é um encontro amoroso. Gostam de comédias românticas, de musicas românticas, enfim tudo o que é…romântico (era para ver se estavam atentos) e estão sós há quase três décadas. (Fuck meeeeeen!!!! Eu sou quase assim!!! Népia men!!! Não quero!!!) – Os Solteiríssimos: São mais frequentemente chamados de paneleiros ou bichas, mas quando é um conhecido preferimos chamar-lhe “gay”. Estes são solteiros que o permanecerão à vida enquanto o casamento homossexual for proibido. As suas músicas preferidas são as da banda “Village People” (It’s fun to stay at the y-m-c-a. It’s fun to stay at the y-m-c-a. They have everything for you men to enjoy… a musica até é fixe…OH!!! Que olhares são esses!? Eu não sou…aquilo do “tu sabes”)– Os Solteiros a Prazo: São aqueles que conseguiram a pessoa vai a partilhar a sua vida. Mas em contrapartida abdicam das grandes responsabilidades do celibato (sair para a farra, escolher a roupa, alugar pornografia, ver sites pornos, alimentar-se e pensar pela própria cabeça…etc.).

Os Solteiros Convictos: Já sabem que ninguém quererá partilhar a sua vida, e por opção já desistiram dessa ideia. As saídas nocturnas acabaram para eles. Sendo agora a pornografia e o Processo Único de Normalização Hormonal por Estimulação Temporária e Auto determinada (leia-se punheta) os seus únicos hobbies.

Os Solteiros de Ataque: eles aproveitam ao máximo o seu estatuto, têm uma agenda repleta com nomes de amigas para de vezes enquanto darem uma voltinha. Um solteiro pode gostar das vantagens do celibato, mas nada o impede de cortejar umas damas (e não estou a falar do jogo).

Podem então perguntar: “O que leva os homens a perseguir mulheres com quem não tencionam casar?” Só uma resposta me ocorre:
“O mesmo impulso que leva os cães a perseguir um carro que não tencionam conduzir…”

Acabar com…a pirataria

Com este baixo assinado pretendo acabar com o pesadelo que é a pirataria. Este problema atinge milhares de portugueses é demasiado importante para ser esquecido e passar à banalidade. Para sustentar a minha opinião, decerto partilhada por muitos, tenho vários argumentos, sendo eles:

1º Os Preços: Não percebo o porquê de comprar filmes ou álbuns no mercado negro (os preços variam entre 2.5 e 5€) quando podemos comprar os originais com preços exageradamente baixos (lembro que os originais podem custar de 15 à 35€, dependendo se é um dvd ou um cd)

2º Os Direitos de autores: Por cada cópia comprada, os autores perdem muito dinheiro, e como é de conhecimento público, eles têm pouco e pode lhes fazer falta.

3º Os Ciganos: Eles podem sair fortemente prejudicados pela venda de pirataria. Se não há pirataria, eles não a vendem logo não incorrem o risco de ser espoliados das suas mercadorias pela polícia. Quem é que gosta de ver os coitadinhos dos ciganos serem corridos a bastão?

4º O Despovoamento: Se um cidadão for apanhado com um objecto pirata (e não estou a falar de sabres ou cenas do género) incorre com uma pena que pode chegar aos 3 anos de prisão. Na minha rua, como em muitas, ia tudo dentro. Imaginam o número de localidades que ficariam desérticas, como se não bastasse as do Interior.

5º A Superlotação das Prisões: Intrínseco aos dois pontos anteriores está o problema das prisões que estão cheias de gente. Para solucionar esse problema seria necessárias mais prisões, mais guardas, para ocupar os cargos outrora exercido pelos “piratas” haveria a necessidade de arranjar novos trabalhadores. Isso tudo faria com que a taxa de desemprego diminui-se e nos não queremos isso. Pois não!?

6º As Rusgas: Na minha opinião, o ponto que mais sustenta a minha teoria. Quando falo das rusgas, falo das domiciliaras, imaginam só como seria aborrecido aparecerem uns marmães que desarrumassem tudo o que você passou horas a limpar tal uma verdadeira fada do lar. Pior ainda seria, na busca de pirataria, encontrarem a pornografia que está há anos escondida por baixo do colchão longe dos olhares indiscretos e da vossa mãe.

Eu penso que todos estes pontos farão vos lidar com a pornografia (escondem melhor as revistas!!!) e a pirataria de um modo mais adequado.

Nota: Se alguém quiser um filme ou um cd recente, tenho preço fixes, para isso mi liga(913455896)